Sunday, March 18, 2007


Louvre.

Dezembro de 2006

Passaram 3 meses desde o último post. Perdi quase todas as minhas fotos desde então. Felizmente restaram estas. =)
Tinha de postá-las. Habitualmente, não posto duas de uma assentada, mas teve mesmo de ser!
Férias de Natal, do presente ano lectivo.
Hoje não estou minimamente inspirada para escrever sobre as fotos.
Tirem as vossas conclusões.
Visitem o museu, quando puderem.
Admirem a escultura, Vitória de Samotrácia, agora mesmo. Eu não me canso de o fazer.

Saturday, December 02, 2006


Antalya, Turquia.

Setembro '05

Podia passar o resto do dia a explicar que Antalya é uma cidade linda, situada no sudoeste da Turquia, que foi fundada no seculo II a.C., com certa de 667 mil habitantes, etc.

Para bom entendor, uma imagem deve bastar, e a que têm diante dos vossos olhos é avassaladora. :D Um dos teatros mais antigos e provavelmente um dos mais bem conservados do mundo. Antalya possui também umas ruínas dignas de serem visitadas.

Ainda me lembro, como se tivesse sido à dois dias atrás, de ter subido aqueles "degraus" a correr, com a minha irmã. Bons tempos!

Li

Ps - O almoço daquele dia foi optimo. Os turcos comem (quase) tudo com molho de iogurte... ;)

Saturday, October 21, 2006



Rhodes.

Esta foto foi tirada numa manha do Verão de 2004. Para quem não sabe, Rhodes é uma cidade grega. Linda, por sinal!

Não tenho muito a dizer, é mais do que evidente que adorei esta cidade. =)

Ps - As melhores férias de sempre. 'Aquelas' férias... até hoje.

:D

Sunday, October 08, 2006

Novembro 2003

O Castelo.

O meu sítio favorito.
Porque me traz paz,
porque nele consigo reflectir,
porque torna especiais os momentos que lá passei,
porque é o lugar perfeito para se conversar,
porque pouca gente lhe dá o devido valor,
porque sim...

:)

Tuesday, September 26, 2006

Sintra.

Que contraste exuberante! :D

Bem. Hoje, incrivelmente, faltam-me as palavras, mas como uma imagem vale por 1000 e esta é uma linda imagem(!), considero que nao preciso dizer muito. :)

Dois dias planeados que trouxeram muitas surpresas, felizmente, óptimas. Histórias/memórias que ficarão guardadas, de dois dias de pura alegria e divertimento (com algum sofrimento cómico à mistura)! Uma festa: Visita de Estudo...é preciso dizer mais?

....

Ps - Este post é dedicado a 3 meninas que ajudaram (muito) a tornar estes dois dias fabulosos.

Tuesday, September 19, 2006


Disney. Fev '05.

:D Carnaval de 2005. Esquecido? Jamais!

Lá fui eu de autocaravana até França, com a minha família e a minha melhor amiga.

Ao som da música mais badalada da altura (Numb/Encore, nº 4 do Cd Collision Course - fonte segura) visitámos Paris, Chartres e a Disney. Escusado será dizer que foi uma viagem mesmo especial e muito mais que muito divertida. :D

Escolhi esta foto porque uma da Torre Eiffel não seria original, e as da Catedral de Notre Dame de Paris estavam mal tiradas. :P Também a escolhi porque, se repararem, no canto esquerdo mostra metade da árvore QUADRADA!!! x) Adorei-as... Mas, e para acabar, escolhi esta foto, principalmente, porque foi tirada num dos dias mais divertidos da minha (curta, até agora) vida.

:D

Friday, September 15, 2006

Amesterdão.
Dans le port d'Amsterdam
Y a des marins qui chantent
Les rêves qui les hantent
Au large d'Amsterdam
Dans le port d'Amsterdam
Y a des marins qui dorment
Comme des oriflammes
Le long des berges mornes
Dans le port d'Amsterdam
Y a des marins qui meurent
Pleins de bière et de drames
Aux premières lueurs
Mais dans le port d'Amsterdam
Y a des marins qui naissent
Dans la chaleur épaisse
Des langueurs océanes
Dans le port d'Amsterdam
Y a des marins qui mangent
Sur des nappes trop blanches
Des poissons ruisselants
Ils vous montrent des dents
A croquer la fortune
A décroisser la lune
A bouffer des haubans
Et ça sent la morue
Jusque dans le cœur des frites
Que leurs grosses mains invitent
A revenir en plus
Puis se lèvent en riant
Dans un bruit de tempête
Referment leur braguette
Et sortent en rotant
Dans le port d'Amsterdam
Y a des marins qui dansent
En se frottant la panse
Sur la panse des femmes
Et ils tournent et ils dansent
Comme des soleils crachés
Dans le son déchiré
D'un accordéon rance
Ils se tordent le cou
Pour mieux s'entendre rire
Jusqu'à ce que tout à coup
L'accordéon expire
Alors le geste grave
Alors le regard fier
Ils ramènent leur batave
Jusqu'en pleine lumière
Dans le port d'Amsterdam
Y a des marins qui boivent
Et qui boivent et reboivent
Et qui reboivent encore
Ils boivent à la santé
Des putains d'Amsterdam
De Hambourg ou d'ailleurs
Enfin ils boivent aux dames
Qui leur donnent leur joli corps
Qui leur donnent leur vertu
Pour une pièce en or
Et quand ils ont bien bu
Se plantent le nez au ciel
Se mouchent dans les étoiles
Et ils pissent comme je pleure
Sur les femmes infidèles
Dans le port d'Amsterdam
Dans le port d'Amsterdam.
(Jacques Brel)